Exposição “Canoas de Promesseiros”
Período: Mês de outubro de cada ano
Autores: Artesãos de Abaetetuba
Técnica: Artesanato em Miriti

delimitador

 

Galeria de Fotos

 


Apresentação

Cores, sabores e fé. Outubro é um mês de festividade em Belém. É o mês de Nossa Senhora de Nazaré. E como não pensar nos lindos, alegres e coloridos brinquedos de Miriti? Famoso brinquedo, produzido a partir da leve palmeira da fibra do buriti, rica na região de Abaetetuba, no Nordeste do Estado.

A fibra é mundialmente conhecida pela fabricação dos brinquedos e artesanatos em miriti, que são confeccionados pelos artesãos do município. Mas o Miriti vai muito além disso. Atualmente, milhares de famílias abaetetubenses têm como fonte de renda a produção e a comercialização dos objetos, alimentos e outras manufaturas.

Como também não lembrar dos rios do estado que levam centenas de embarcações em uma das maiores Romarias do Círio de Nossa Senhora de Nazaré – a famosa e antiga procissão Fluvial.

A Romaria Fluvial foi iniciada em 1985, como uma forma de homenagear a todos os que vivem e dependem dos rios da região, como a população ribeirinha, que também pode fazer suas homenagens.

Com objetivo de retratar toda essa festividade e cultura, em 2010, o TCE-PA, através da proposição do Conselheiro Nelson Chaves, apresenta aos paraenses e turistas toda a beleza e fé do Círio Fluvial e a trajetória de vida de quem está por trás da manufatura dos artesanatos de miriti, através da criação da exposição “Canoas de Promesseiros”. Evento que ficou tradicional no calendário do Círio.

A exposição é construída para traduzir o espetáculo da Romaria Fluvial nos espelhos d’agua do Tribunal de Contas do Estado (TCE-PA). Desde sua criação, a famosa “Canoas de Promesseiros” já faz parte da visitação dos romeiros que passam pela esquina da Travessa Quintino Bocaíuva com a Avenida Nazaré no mês de outubro.

Outro importante objetivo da exposição vai além da romaria, apresentando todas as possibilidades, culturas, geração de emprego e renda e todo o universo da cultura do Miriti e a vida do povo ribeirinho que usa os rios como meio de transporte. Na exposição “Canoas de Promesseiros”, há barcos das mais diversas cores, tamanhos e dos mais variados tipos: rabeta, balsas, corvetas, popopô, casquinho, dentre outros.

 

De Exposição ao Projeto “Miriti – Além do Brinquedo, uma história de vida”

 

A exposição em 2017, tornou-se um projeto do TCE-PA, que tem como principal objetivo levar ao conhecimento do público, a importância dos artesãos, o que o Miriti representa na vida de cada um que o produz e a beleza da Romaria Fluvial na programação do Círio de Nossa Senhora de Nazaré. Muitas famílias ribeirinhas trabalham e dependem exclusivamente da fibra do Buriti. Segundo pesquisa realizada pelo Programa de Pós-Graduação em Agriculturas Amazônicas da UFPA, demonstrou que, “o miriti se mostra importante para a população local não só no campo simbólico e cultural, além do campo econômico e social”. Ainda de acordo com o levantamento “o extrativismo do Miriti é a fonte de renda de cerca de 85% das famílias ribeirinhas. A atividades são realizadas por homens, mulheres e crianças com mais de seis anos”.

Por isso, apresentamos o Projeto “Miriti – Além do Brinquedo, uma história de vida”, para a continuação e o fomento de apoio à cultura do Estado do Pará.

 

2018: Ano das Novidades de tecnologia

 

Dando continuidade com a famosa exposição “Canoas de Promesseiros”, em 2018, o TCE-PA realizou uma parceria com professores e alunos do projeto “Miritrônica”, do curso de Engenharia, da Universidade Federal do Pará (UFPA). A novidade trouxe tecnologia aos barquinhos de miriti, onde os visitantes conseguem a partir do aplicativo “BlueTooth”, “dirigir” os barquinhos de miriti. Ainda neste ano, os barquinhos de Miriti, ganharam uma iluminação especial, onde a Romaria Fluvial ficou mais destacada e iluminada.

 

2019: Novidades nas cores dos barcos

Dando continuidade com o objetivo, a exposição em 2019, trouxe as novidades em pinturas dos barcos com tinta fluorescente e iluminação em UV, o que possibilitou maior nitidez das cores e dos barquinhos de Miriti. Além do aumento anual dos barcos, uso da tecnologia, com os barcos motorizados, dentre outros.

 

2020: A Exposição Miriti: a arte que encanta.

Este ano o projeto completou 10 anos, mesmo num círio atípico em virtude da pandemia, o TCE-PA, não poderia deixar de montar essa exposição, que faz parte do calendário do círio e já se firmou como elemento decorativo para a cidade. Os barcos foram pintados com as mesmas características do ano anterior, essa técnica possibilita um efeito de luminosidade reforçada pela iluminação em UV. O  projeto contou com a colaboração dos alunos do curso de artes da UFPA para a execução da pintura.

 

2021: “Canoas de Promesseiros - A Arte do Miriti: Um Sopro de Cultura”

O temada edição fez alusão ao fato de a arte ser um momento de respiro em um ano ainda marcado pela pandemia da Covid-19, além de ser uma forma de homenagear a todos que foram impactados  fisicamente e/ou emocionalmente pela doença.

A exposição foi composta por 200 barquinhos, uma fragata e dezenas de romeiros em miriti, tudo valorizado por uma iluminação especial e pintura com tinta à base d’água em cores fluorescente, o que evidenciava a beleza das peças produzidas pelos artesãos de Abaetetuba.

Pelo segundo ano consecutivo, o projeto contou com imagens projetadas na lateral do Edifício-Sede do TCE-PA, completando o cenário lúdico da exposição e, concomitantemente, foi ainda realizada a exposição “A Fé e o Belo na Cidade de Belém”, da fotógrafa Soraya Montanheiro, no Espaço Cultural Conselheiro Clóvis Moraes Rêgo e no espelho d’água.


Catálogo do projeto “Canoas de Promesseiros”

A edição 2021 destacou-se também pelo lançamento de um catálogo reunindo a história do “Canoas de Promesseiros” ao longo de uma década.

Divulgação

Catálogo
Convite

Mídia externa