Plano Estratégico

Plano Estratégico 2016-2021

A elaboração do Plano Estratégico 2016-2021, do Tribunal de Contas do Estado do Pará (TCE-PA), tem como base metodológica a ferramenta do Balanced Scorecard (BSC), modelode gestão que auxilia a mensuração do progresso das organizações rumo às metas de longo prazo, a partir da tradução da estratégia em objetivos com indicadores de desempenho, metas e ações estratégicas.

A metodologia do BSC disponibiliza o Mapa Estratégico que é a representação gráfica da estratégia. O mapa do TCE-PA está estruturado em 03 (três) perspectivas: Resultados, Processos Internos e Recursos (pessoas, tecnologia da informação, orçamento e logística). Essas perspectivas representam um encadeamento lógico da estratégia de atuação do Tribunal. Cada uma engloba um conjunto de objetivos estratégicos que retratam os principais desafios a serem enfrentados pelo TCE-PA no alcance de sua visão de futuro e no cumprimento de sua missão.

O processo de trabalho foi conduzido entre os meses de abril a julho de 2015 e se caracterizou por 03(três) elementos:

  • Realização de oficinas de trabalho durante todo o processo de consolidação do Plano;
  • Pesquisa estruturada, tendo o público-alvo os Conselheiros e Conselheiros Substitutos; e
  • Aplicação de questionário direcionado aos jurisdicionados e sociedade,empreendido durante a realização do Fórum TCE-PA 2015

O objetivo principal das entrevistas foi coletar informações para subsidiar a construção do Mapa Estratégico relativo ao Plano Estratégico para o sexênio 2016-2019.

Foram realizadas 16(dezesseis) oficinas de trabalho com a participação de dirigentes e servidores, em cada oficina com média de 56 (cinquenta e seis) pessoas, além do trabalho executado com grupo representativo das unidades técnicas do TCE-PA.

O objetivo a alcançar nas oficinas de trabalho consistiu em examinar os ambientes interno e externo, analisar e legitimar a missão, visão de futuro e valores do Tribunal para o período de 2016-2021, bem como definir objetivos estratégicos, indicadores e metas dentre as alternativas apresentadas, aprovando-as, alterando-as ou propondo novas.

Ao mesmo tempo foram analisados os glossários dos objetivos estratégicos que receberam, quando coube, os devidos ajustes. As ações estratégicas foram definidas junto ao grupo representativo das unidades técnicas do Tribunal e serão implementadas a longo e médio prazo, por meio do seu desdobramento nos Planos Plurianuais e nos Planos de Gestão, no âmbito das unidades do Tribunal.

Importante ressaltar que para o processo de consolidação das informações foram consideradas as demandas do Marco de Medição de Desempenho (MMD) que é o principal instrumento de avaliação do projeto Qualidade e Agilidade dos Tribunais de Contas. Este projeto foi concebido pela Associação dos Membros dos Tribunais de Contas do Brasil (ATRICON), que estabeleceu itens e critérios a serem avaliados por meio do mencionado projeto.

A metodologia adotada durante todo o processo levou em consideração o trabalho realizado em equipe, tendo como resultado a construção do conhecimento pelos diversos atores no processo. Com isso, tem-se um trabalho de construção coletiva e colaborativa, o que valida e torna os resultados do processo mais legítimo e próximo às necessidades do Tribunal.

Para efeito de gestão o trabalho para a elaboração do Plano Estratégico 2016-2021 seguiu as macroetapas abaixo:

1.        Realização de oficinas de nivelamento e de trabalho;

2.        Diagnóstico estratégico (Ambiente interno e externo);

3.        Análise da identidade organizacional;

4.        Definição dos objetivos estratégicos;

5.        Construção do mapa estratégico;

6.        Consolidação do plano estratégico;

7.        Definição dos indicadores e metas;

8.        Definição das ações estratégicas.

O grande desafio foi de construir um Plano que mesmo diante de tantas adversidades, os membros e servidores pudessem exercer suas funções de cooperar de forma plena, em especial, no tocante a elaboração dos objetivos estratégicos, ações, metas e indicadores, que deve conter no Plano para atuar no período de 06 (seis) anos. Dessa forma, este Plano contempla as expectativas da sociedade, dos jurisdicionados e dos membros e servidores do TCE-PA.

Importante destacar que sendo o Pará o segundo maior estado da federação em extensão territorial, o que caracteriza imensas dificuldades geográficas quanto ao atendimento dos serviços públicos à população, o TCE-PA não mede esforços para cumprir sua missão institucional de exercer o controle externo, por meio da efetiva fiscalização da aplicação dos recursos públicos estaduais, é melhor forma de contribuir para que o cidadão tenha a entrega de bens e serviços públicos ofertados.  Este Plano Estratégico 2016-2021 se constitui em instrumento fundamental e de grande potencial de trabalho para corroborar com a efetiva gestão da aplicação dos recursos públicos estaduais e o fortalecimento do Estado democrático de direito.

Vale destacar que o Plano Estratégico 2016-2021 foi aprovado em 29/07/2015, por meio da Resolução nº18.722, que o tornaválido desde então, entretanto sua vigência e eficácia acontecerão a partir do dia 02/01/2016.

 

Ouvidoria

Tv. Quintino Bocaiúva, 1585. Nazaré. Belém - PA. 66035-903.
Fone: (91) 3210-0803 / 0800
Atendimento: 8:00h - 14:00h
Sessões Plenárias Ao Vivo
Sessões Ordinárias todas as 3ª e 5ª feiras, às 9:00h com transmissão ao vivo pela Internet.

Tv. Quintino Bocaiúva, 1585.
Nazaré. Belém - PA. 
66035-903.
Tv. Luiz Barbosa, 962.
Caranazal. Santarém - PA. 
68041-420.
Av. VP 8, Folha 32, Quadra 17
Lote 11, Nova Marabá. Marabá - PA. 
68508-160.
(91) 3210-0555 (93) 3522-1718 / (93) 3522-9794 (94) 3323-0799

Atendimento ao Público de 8:00h às 14:00h
Atendimento no Protocolo de 8:00h às 18:00h (de segunda à quinta-feira) e de 8:00h às 16:00h (sexta-feira)